segunda-feira, setembro 22, 2008

Memórias das novas tecnologias dos anos 40 do século XX

A primeira Emissora de Rádio dos Açores
LBS –Local Broadcast Service


A primeira estação emissora de rádio nos Açores foi a LBS, acrónimo de Local Broadcast Service e data de fins dos anos quarenta (pós-guerra). Só muitos anos mais tarde haveria a Força Aérea Portuguesa na base das Lajes de emitir com a sua própria estação.
A LBS, sedeada na Base das Lajes numa “barraca” redonda metálica do exército americano, no tempo em que os Americanos haviam acabado de se instalar na ilha Terceira, foi concebida e construída por João Fernando Goulart Bettencourt Pereira Porto e pelo engenheiro da RCA, Mr. Cavallini. Na altura o exército norte americano contratava directamente os técnicos da RCA e West Company para instalarem os equipamentos comercializados por estas. João Porto haveria mais tarde de pertencer ao Esquadrão de Sistemas de Informação pelo qual passariam muitos informes da Guerra Fria e que serão motivo de outras memórias aqui neste blog.
Meu pai acabaria por fazer 40 anos de serviço a cargo do Exército e da Marinha dos Estados Unidos da América como atesta o documento assinado por Donald A. Rigg e aqui reproduzido do Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América do Norte, para além daqueles anos ainda passados ao serviço dos ingleses durante a 2ª Guerra Mundial.
A “barraca” onde funcionava o emissor de rádio, situava-se na Base das Lajes perto do local onde hoje estão instalados os Correios e o célebre hipermercado americano, conhecido popularmente na ilha Terceira por “Piécse”, e estava dotada de um pequeno recinto com um palco onde havia um piano para transmissões em directo.
Esta primeira estação radiofónica contava com uma emissor de 20 watts cedido pela Marinha Americana e podia ser ouvida em toda a ilha Terceira e ainda na costa norte de São Miguel na banda AM. A banda FM não existia na altura! Para além da divulgação de música gravada em discos muito pesados de vinil compacto e grosso de 33 rotações, tinha o encargo de transmitir as missas dominicais em número de três, a judaica, a cristã e a protestante, num altar que rodava 3 vezes de acordo com o público religioso.
Para além disso tinha mais duas linhas aéreas directas com um microfone dedicado em cada uma para transmissão de outros eventos tais como jogos de salão e bailes.
Conta quem sabe e o fez, que o cristal deste emissor foi burilado à mão empregando pasta de dentes até ter a espessura necessária para emitir em determinada frequência. Contudo com a dissipação de calor produzido pelo aparelho a frequência tornava-se por vezes errática, acabando por interferir com uma outra de um emissor também americano localizada na cidade da Horta, ilha do Faial e por esse motivo motivando esporadicamente protestos de natureza “técnica”.



A imagem mostra o rádiotécnico português, João Fernando Goulart Bettencourt Pereira Porto, meu pai, responsável pela operação da estação, e o respectivo emissor de 20 watts em manutenção.



Jornal "A União" nos anos 60.

Sem comentários: