segunda-feira, outubro 12, 2020

Sh2-142 ou Nebulosa do Feiticeiro



 Nebulosa do Feiticeiro ou Sh2-142, situada na constelação do Cepheu a 8000 anos luz e com um Enxame Globular Aberto de estrelas no seu seio, a NGC 7380, estrelas formadas à cerca de 5 biliões de anos.

Imagens obtidas em duas sessões (Junho e Outubro de 2020), perfazendo duas horas e meia de exposições com subs de 2 minutos.
A imagem SHO resulta do algoritmo APP Hubble 2 com filtro Optolong L-eNhance de banda tripla (H-alfa, H-beta e OIII) sob uma camera OSC (ZWO ASI294MC Pro).
Refractor Takahashi 102FS com redutor de focal f/6 Takahashi, montagem equatorial alemã iOptron CEM60 em autoguiagem OAG com ZWO ASI224MC.
Focagem automática USB-Focus _v3.
Processo robótico com Stellarmate em plataforma Kstars-Ekos-INDI sob Windows 10.
Software APP-Astro Pixel Processor 1.083 beta 1.
Sendo uma nebulosa maioritáriamente de emissão H-alfa e OIII, fazemos constar as imagens H-alfa e OIII.
Fajã de Baixo, ilha de S. Miguel, 9 de Outubro de 2020.

Messier 45


 As Pleiades, as 7 irmães ou ainda do catálogo Messier o número 45, com as sete estrelas, Sterope, Merope, Electra, Maia, Taygete, Celaeno e Alcyone, com as suas coroas atmosféricas extremamente quentes, formam um cluster estelar aberto que ilumina correntes de partículas de poeira interestelar.
Imagem resultante de duas sessões de astrofotografia em 17 de Março e 9 de Outubro de 2020 em Fajã de Baixo, ilha de S. Miguel.

Galáxia de Barnard


 Galáxia de Barnard, situada na constelação do Sagitário, de luminosidade muito baixa, a 1 milhão e 600.000 anos luz, é uma galáxia anã com 1/4 do tamanho da nossa, com 10 milhões de estrelas enquanto a nossa possui cerca de 400 biliões. A sua forma irregular resulta da interação no passado com outras galáxias pertencentes ao Grupo Local.

Ali residem numerosas nebulosas, centros de produção estelar, uma das quais, em forma de bolha, é visível no canto superior direito da galáxia.
Imagem resultante da integração 20x120s na noite de 4 de Outubro de 2020 em Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, Bortle 8.

IC410 ou Nebulosa dos Girinos




 IC410 ou a Nebulosa dos Girinos, deve esta designação devido à presença de duas estruturas na forma de girinos numa lagoa azul, vista a imagem em simulação Hubble palete, para uma OSC (ASI294MC Pro) com o algoritmo do Astro Pixel Processor.

Situa-se a cerca de 12.000 anos luz na constelação de Auriga e no seu seio reside um Enxame Globular Aberto de estrelas massivas designado por NGC 1893 que pela sua potente radiação ultravioleta "ilumina" esta nebulosa de emissão.
Os "girinos" com as suas longas caudas com mais de 10 anos luz de comprimento são autênticos casulos de formação estelar onde prevalece gás ionizado e poeira interestelar moldada pela radiação.
Fajã de Baixo, noite de 9 de Outubro de 2020.

Messier 20



 Messier 20 ou Nebulosa difusa da Trífida constituída por uma nebulosa de reflexão azul e uma de emissão avermelhada, situada na constelação do Sagitário.
Imagem resultante da integração de 19 subs de 120 segundos cada utilisando um refractor Takahashi 102FS a f/6 e uma camara ZWO ASI294MC Pro (0C, 220 gain, 8 offset). Filtro Optolong L-eNhance.
Pré processamento com 40 flats, 20 darks e 20 bias com Astro Pixel Processor 1.083 beta 1.
Guiagem em off-axis com ZWO ASI224MC e montagem equatorial alemã iOptron CEM60.
Processo de aquisição robótica com Stellarmate, plate solver astrometry.net, focagem automática USB_Focus v3.
A imagem Hubble palete, obtida com o filtro Optolong L-eNhandce de banda estreita dupla (H-alfa, H-beta e OIII) usando o algoritmo Hubble 2 do Astro Pixel Processor com extração para H-alfa, OIII e SII.
Ponta Delgada, Fajã de Baixo, Bortle 8, 4 de Outubro de 2020.

terça-feira, setembro 15, 2020

terça-feira, setembro 08, 2020

Nebulosa do Coração: Mosaico constituído por 3 painéis.


Nebulosa do Coração: Mosaico com 3 painéis em Hubble Palete (SHO)


Nebulosa do Coração em mosaico de 3 painéis com filtro Optolong L-eNhance.
Takahashi 102FS f/6, ASI294MC Pro com autoguiagem em OAG com ASI224MC. Processo Astrometry.NET solver.
iOptron CEM60.
Aquisição robótica via WiFi com Raspberry Pi 3 B+ e
Stellar Mate
.
Plataforma Kstars-Ekos-INDI em emulação Windows 10.
Focagem automática USBFocus v3.
Acessórios para energia e dados: AstroLink 4 mini e HUb usb.
Astro Pixel Processor 1.083 beta 1 com pré-processamento 40 Flats, 20 Darks e 20 Bias.
Fajã de Baixo, ilha de S. Miguel, Açores.


 

quinta-feira, setembro 03, 2020

Nebulosa do Coração em mosaico de duas sessões.


 Nebulosa do Coração vista em mosaico realizado com duas sessões de astrofotografia realizadas em Julho e Agosto deste ano e perfazendo pouco mais de duas horas de exposições.

No centro da nebulosa um aglomerado estelar brilhante, a IC 1805 e no quadrante inferior direito outro aglomerado estelar aberto, denominado NGC 1027.
A Nebulosa do Coração ou Sharpless 190, é trespassada por inúmeras nebulosas escuras como a LDN 1367 logo acima da IC 1805 e, seguida pelas LDN 1368, 1369 e a CG75 DIN. Do lado esquerdo da IC outras duas nebulosas escuras, a saber a LDN 1361 e a LDN 1364. Ainda a destacar a mais escura de todas a LDN 1371 situada na zona superior e a meio da imagem.
Todas estas nebulosas escuras mais não são do que poeira interestelar que bloqueia a luz das estrelas situadas atrás.
Mosaico com Astro Pixel Processor 1.083 beta 1.
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel.

quarta-feira, setembro 02, 2020

Nebulosa do Coração ou Sharpless 190


 Nebulosa de emissão do Coração ou Sharpless 190 ou ainda IC 1805, situada na constelação da Cassiopeia a 7500 anos luz do nosso sistema solar, reside no seu centro um pequeno aglomerado aberto de estrelas com mais de 50 massas solares, conhecido por Melotte 15, que ionizam o Oxigénio molecular (OIII, em azul) e o hidrogénio que emite nas suas linhas espectrais H-alfa e H-beta (as áreas envolventes de brilho alaranjado). A potente radiação ultravioleta destas estrelas jovens,com menos de 1 bilião de anos, moldam a poeira interestelar sob a forma de colunas e pilares, criando as condições para a produção de protoestrelas e futuros sistemas planetários.

Imagem resultante da integração de duas horas, em duas sessões distintas em Agosto de 2020.
Dados técnicos:
Camara de aquisição ZWO ASI294MC Pro (60x120s), Temperatura 0 C, 220 Gain, binning 1x1, com pré-processamento 40 Flats, 20 Darks e 20 Bias.
Auto guiagem em off-axis com ZWO ASI224MC e Montagem Equatorial Alemã iOptron CEM60.
Controlo remoto de equipamento com Stellarmate em RPi3 + model B e plataforma Kstars-Ekos-servidor INDI em emulação Windows 10.
Acessórios: USB_Focus 3, filtro dul band pass Optolong L-eNhance, Astrolink4 mini, Roteador.
Software processamento Astro Pixel Processor 1.083 beta 1.
Local: Fajã de Baixo, ilha de São Miguel.
Indice de poluição luminosa: Bortle 7.

Aglomerados estelares peculiares - do Mocho e Rosa da Carolina



Aglomerado estelar aberto do Mocho ou do ET, ou ainda NGC 457, situado na constelação da Cassiopeia. O olho direito do mocho é a Phi Cassiopeiae, uma dupla variável a 2300 anos luz, enquanto a estrela laranja-avermelhada no quadrante superior esquerdo é a variável V465 Cas. No quadrante inferior esquerdo ainda é possível ver outro pequeno aglomerado estelar aberto denominado NGC 436.

Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 27 de Agosto de 2020.



 Enxame Estelar Aberto na constelação da Cassiopeia a 8000 anos luz, conhecido também como ROSA da CAROLINA, por ter sido descoberto por Caroline Lucretia Herschel em 1783 e, o seu irmão William Herschel a ter incluído no seu catálogo e, não pela minha filha se chamar Carolina. Sobre o fundo estelar da Via Láctea faz lembrar uma rosa quando vista por telescópios de pequena abertura.

As estrelas avermelhadas deste cluster são Gigantes Vermelhas e distribuem-se num raio de 50 anos luz.
Fajã de Baixo, São Miguel, 1 de Setembro de 2020

Messier 33 ou Galáxia do Triângulo


 Galáxia espiral do Cata-Vento, do Triângulo ou Messier 33, é a terceira maior galáxia pertencente ao nosso Grupo Local situada na pequena constelação do Triângulo a cerca de 3 milhões de anos luz da nossa própria galáxia (é nossa vizinha) e com um diâmetro aproximado de 50.000 anos luz.

A imagem mostra os aglomerados estelares constituídos por estrela jovens azuis, bem como as àreas de formação estelar HII em coloração avermelhada. Envolvendo a galáxia é visível um extenso halo de matéria que se estende no espaço.
A imagem é o resultado apenas da integração de 30x120 segundos sob condições de alguma nebulosidade e instabilidade atmosférica.
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, madrugada de 28 de Agosto de 2020.

Nebulosas Sharpless fracas

Sharpless 174 ou PK 120+18 é um objecto enigmático do céu profundo situado na constelação de Cefeu. A sua classificação simultânea no catálogo Sharpless (Sh2) e no catálogo da nebulosas planetárias (PK) torna evidente este enigma, gerando ainda hoje discussões sobre a sua natureza e origem.
Considera-se no entanto como uma nebulosa planetária diferente, das mais fracas em brilho e das situadas mais a norte. As nebulosas planetárias são restos de estrelas que chegando ao fim de vida libertam para o espaço as suas camadas externas de forma simétrica deixando no centro da nebulosa os restos da estrela que passa a ser uma Anã Branca. A Sh2-174 é diferente ao apresentar uma assimetria derivada do impacto do gás das camadas exteriores da estrela original com o meio interestelar. Neste caso a Anã Branca é a estrela mais brilhante e azul na zona azulada que representa oxigénio molecular ionizado (OIII). Contudo apresentam idades diferentes...
Fajã de Baixo, S. Miguel, 23 de Agosto de 2020.


Sharpless 97 é uma nebulosa de emissão das mais ténues e difícil de astrofotografar, situada na constelação do Cisne a 12.700 anos luz e fazendo parte de um campo visual muito rico em estrelas como mostra a imagem.
Notar a coloração das estrelas evidenciando a sua idade e temperatura: as azuis e brancas mais novas e quentes as vermelhas mais antigas e frias.
Fajã de Baixo, São Miguel, 23 de Agosto de 2020.



Sharpless 90, nebulosa de emissão na constelação da Raposa, a 7000 anos luz, com contornos irregulares nas suas áreas de emissão espectral HII em torno de vastas áreas de poeiras., sobretudo no quadrante inferior onde é possível ver também a pequena Sharpless 89.

Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 27 de Agosto de 2020.



 Pequena Nebulosa do Casulo, Pequena Nebulosa da Trifída ou ainda de acordo com o catálogo, Sharpless 2-82, situada na constelação da Seta a cerca de 1100 anos luz, é uma pequena nebulosa de emissão avermelhada rodeada por outra de reflexão espectralmente azulada que esconde filamentos de poeira.

Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 23 de Agosto de 2020.

quarta-feira, agosto 26, 2020

M16 e M17




 Messier 17 ou Nebulosa do Ómega ou ainda conhecida por nebulosa do Cisne, situada a 5500 anos luz na constelação do Sagitário, tem a residir no seu seio o cluster estelar mais jovem da nossa galáxia, apenas com a idade de 1 milhão de anos e, cuja potente radiação esculpe o gás em seu redor, cujos comprimentos de onda em transmissão azulada representam OIII e no avermelado o HII (Hubble Palete SHO).

Fajã de Baixo, 23 de Agosto de 2020.



Messier 16, Nebulosa da Águia na constelação da Cauda da Serpente a 7000 anos luz, extensa área de produção proto estelar por efeito da radiação ultravioleta e ventos estelares do aglomerado estelar muito jovem, residente no seu seio, que molda o gás em colunas originando os célebres "Pilares da Criação" ou também designadas "Trombas de Elefante". Também é visível outra formação de poeira inter estelar muito famosa e conhecida como "Fada da Nebulosa da Águia".
Apresentamos a imagem em H-alfa para mostrar a extensão desta nebulosa bem como a imagem em modo Hubble Palete para colocar em evidência sobretudo as áreas de HII (avermelhado) e OIII (verde-azulado).
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 23 de Agosto de 2020.

Nebulosas da Hélice e do Haltere


 Nebulosa da Hélice ou NGC 7293, situada a 650 anos luz na constelação do Aquário, é uma nebulosa planetária, resultado da morte de uma estrela depois de ter convertido todo o hidrogénio em hélio e depois em carbono, oxigénio e azoto através de reações sucessivas de fusão, libertando para o espaço estes componentes que vão integrar e constituir milhões de anos depois a vida tal como a conhecemos e deixando para trás uma Anã Branca (situada mesmo no centro da nebulosa), cuja radiação ultra-violeta intensa activa e "ilumina" as camadas circundantes de gás.

Se existissem planetas em torno desta estrela, teriam sido despedaçados e engolidos pela expansão das camadas exteriores da estrela ao transformar-se em Anã Branca, processo futuro que sucederá com o nosso Sol.
A imagem resulta da integração de 20 x 120s com camara ZWO ASI294MC pro em péssimas condições de observação motivadas pela existência de intensa poluição luminosa na madrugada de 24 de Agosto de 2020 em Fajã de Baixo, ilha de São Miguel.



Nebulosa do Haltere ou Messier 27, situada na constelação da Raposa a 1200 anos luz, tem a idade de 10.000 anos e é uma nebulosa planetária com uma estrela Anã Branca no seu centro, resto do colapso da estrela inicial.
As imagens revelam as estruturas exteriores das camadas de gás de hidrogénio ionizado HII (avermelhadas) e de OIII (azul-esverdeadas).
Na segunda imagem e rodeada por um círculo situa-se a estrela HD 189733 onde foi descoberto um exoplaneta do tamanho de Jupíter, o HD 189733b a 63 anos luz.
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 23 de Agosto de 2020.

Sharpless 185,154 e 71/72


 Sharpless 185 ou a a Nebulosa do Fantasma na constelação de Cassiopeia consta de dois objectos do céu profundo (IC59 e IC63) que estão a ser "evaporados" e dispersos no meio interestelar pela monstruosa estrela azul vizinha - Gamma Cassiopeia, 15.000 vezes mais massiva, 40.000 vezes mais luminosa e rodando 150 vezes mais depressa que o nosso Sol.

Ficha Técnica:
Camera ZWO ASI294MC Pro, 35x120s
Filtro Optolong L-eNhance 2"
Refractor Takahashi 102FS f/6
Guiagem ASI224MC, off-axis-guide
Montagem Equatorial iOptron CEM60
Stellarmate com plataforma Kstars-Ekos-INDI
Astro Pixel Processor 1.083 beta 1, Hubble Palete
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, Açores, João Porto


Nebulosa Sharpless 154 e enxame estelar NGC 7419. Esta nebulosa muito ténue, e vizinha da Nebulosa da Caverna, é uma extensa região de hidrogénio ionizado (HII) raramente objecto de astrofotografia.
Fajã de Baixo, ilha de S. Miguel, 22 de Agosto 2020.


Uma nebulosa de emissão muito ténue e raramente alvo de astrofotografia, a Sharpless 72 a 5870 anos luz, acompanhada por outra brilhando fortemente no espectro HII e conhecida como sharpless 71 (no quadrante inferior direito).
Esta imagem mostra uma variabilidade de cores nas estrelas presentes em que o azul e o branco são estrelas jovens e as mais velhas são amarelas e avermelhadas.
Crê-se que esta nebulosa (Sh2 72) é sede de produção estelar.
No canto inferior esquerdo ainda é possível ver um enxame globular de estrelas designado por NGC 6749.
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 23 de Agosto de 2020.

Nebulosa da Íris



 Nebulosa da Íris, situada na constelação do Cepheu, é iluminada pela estrela central SAO19158, uma estrela azul muito quente, com 10x a massa do nosso Sol.

Apesar de oficialmente não ser conhecida por ser uma nebulosa de emissão, uma análise mais detalhada da imagem , mostra emissão HII na forma de traços lineares de ambos os lados da estrela, para além da existência de extensas regiões que reflectem a luz azulada devido à radiação estelar da SAO19158.
Outras extensas regiões em volta são formadas por poeira microscópica interestelar que bloqueia a passagem da luz das estrelas situadas atrás.
Na outra imagem, produzida em modo SHO Hubble, é possível ver fenómenos de fotoluminiscência pela existência de estruturas filamentosas avermelhadas devido ao bombardeio pela radiação ultravioleta da SAO19158. Recentes investigações tambem revelaram emissões espectrais infravermelhas devido à presença de hidrocarbonetos aromáticoa policíclicos.
Ficha Técnica:
Camera de aquisição ZWO ASI294MC Pro, 60x120s, Gain 220, 0C
Refractor Takahashi 102FS f/6,
Montagem iOptron CEM60
Guiagem ZWO ASI224MC, off-axis-guide
Plataforma Kstars-Ekos-INDI em Win10 com servidor Stellarmate.
Processo Astrometry.NET
Astro Pixel Processor 1.083 beta 1
Ponta Delgada, Fajã de Baixo, Açores, 15-08-2020

Sharpless 112 e NGC 6946



 Nebulosa Sharpless 112 em modo Hubble Palete, reprocessada com integração de mais exposições que evidenciam as áreas HII e OIII, e ainda a Galáxia dos Fogos de Artifício (NGC 6946) com o Enxame Globular NGC 6939 no quadrante inferior esquerdo.

A galáxia espiral dos Fogos de Artifício situa-se na fronteria entre as constelações de Cefeu e do Cisne a vinte e dois milhões de anos-luz do nosso sistema solar.
Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, 22 de Agosto de 2020.

Galáxia de Andrómeda


 Galáxia de Andrómeda acompanhada pelas outras duas galáxias vizinhas, Messier 32 e Messier 110, todas fazendo parte do nosso Grupo Local de galáxias.

Exposição de 3 horas repartidas por 3 sessões realizadas em 2020 com filtro Optolong L-eNhance.
Fajã de Baixo, ilha de S. Miguel, Açores.

quarta-feira, agosto 12, 2020

Sharpless 131 Hublle Palette

Sharpless 131, Ponta Delgada 5 de Maio e 9 de Agosto de 2020
Ficha técnica:
ZWO ASI294MC Pro, 40x120s em duas sessões (15 Maio e 9 Agosto), Gain 220, 0 C, RAW 16bits, bin 1x1, Filtro Optolong L-eNhance
Takahashi 102FS f/6, Guiagem ZWO ASI224MC, off-axis-guide
Montagem iOptron CEM60
Controlo remoto via WiFi com RPi 3
Stellar Mate
hotspot
Plataforma Kstars-Ekos-INDI sob Windows 10
Astro Pixel Processor v 1.083beta1 Hubble Palette

 

sábado, agosto 08, 2020

Cometa F3 NEOWISE de partida para regressar daqui a 6500 anos

 No início da noite de 6 de Agosto o cometa F3 Neowise fazia a sua aproximação, no nosso campo de visão, a dois aglomerados estelares: Messier 53 no canto superior direito e à NGC 5053 com a cauda iónica cometária a ocultà-la, na zona central da imagem.

Ponta Delgada, 6 Agosto 2020.

quinta-feira, agosto 06, 2020

Nebulosa da Califórnia

 Astro Pixel Processor Hubble Palette (H-alfa, OIII, SII) com filtro Optolong L-eNhance

ASI94MC Pro, 31x120s, Gain 220, o Celsius, Autoguiagem ASI224MC, ZWO off-axis-guide, iOptron CEM60, Stellarmate RPi 3, Kstars-Ekos-INDI sob Windows 10, Astrometry.NET

Ponta Delgada, 16 Março 2020

quarta-feira, agosto 05, 2020

Nebulosa Escura da Cabeça do Cavalo e Nebulosa da Chama


 
16 Março 2020
Hubble Palete (H-alfa, OIII, SII) com filtro Optolong L-eNhance

terça-feira, agosto 04, 2020

A Grande Muralha e um Golfo



NGC 7000 ou Nebulosa da América do Norte.
Aspecto da grande "Parede do Cisne" rodeada pelo "Golfo do México" e pela B355, reveladas em modo Hubble Palete mas com filtro Optolong L-eNhance (H-alfa, H-beta e OIII).
Perfeitamente distintas as zonas ionizadas em H-alfa, OIII e SII.
Ponta Delgada, 15 de Maio 2020.

quinta-feira, julho 30, 2020

Uma Rosa no Céu em modo Hubble Palete


Nebulosa da Roseta , NGC 2239.
Integração 36x120s, Camara ZWO ASI294MC Pro, 220 Gain, 0 Graus Celsius.
Filtro Dual Band Pass Optolong L-eNhance 2".
Astro Pixel Processor 1.080, algoritmo Hubble Palette - H-alfa, OIII, SII.
Ponta Delgada, 15 Março 2020

quarta-feira, julho 29, 2020

Cometa F3 Neowise de 21 a 27 de Julho 2020

O cometa F3 Neowise para despedida.
22:30 h de 25, 26 e 27 de Julho 2020 na Fajã de Baixo, por entre montes e árvores, integração 15x30 segundos com ASI294MC Pro, filtro Optolong L-eNhance, Refractor Takahashi 102FS f/6.




Cometa C/2020 F3 (NEOWISE), 14-07-2020
Capelas, S. Miguel, Açores
Algoritmo Larson-Sekanina e desconvolução Richardson-Lucy colocam em evidência a estrutura das caudas iónica e de poeira e o "bow shock" do falso núcleo