quarta-feira, setembro 25, 2019

Sessão de 23 de Setembro 2019



Áreas centrais das Nebulosas da Alma e do Coração situadas no braço de Perseu.



As Nebulosas de Emissão e de Reflexão da Gamma Cassiopeia, IC59 e IC63 e que estão a ser dispersas pelo vento solar da Gamma Cassiopeia que é 40.000x mais luminosa e 15.000x mais massiva que o nosso Sol e que roda 150x mais depressa.
A outra imagem é do Enxame Globular Messier 13 situada na constelação de Hércules a 25.100 anos-luz. A galáxia NGC6207 é visível no canto inferior direito, bem como a IC4617. Está última será um desafio para a localizar.


Protoplaneta Vesta é o segundo maior asteróide do sistema solar com 530 km de diâmetro. Encontra-se na constelação do Touro a uma distância de 271.921.922 km levando a sua luz a chegar ao nosso planeta 15 minutos e 7 segundos.
A estrela azul no canto superior direito é a e-Tauri 3x maior que o nosso Sol sendo uma estrela variável eruptiva a 454 anos-luz de nós.
A imagem resulta da integração de 3x60 segundos e foi a última observação feita no fim da noite de 23 setembro 2019 pouco antes das nuvens cobrirem o céu.


segunda-feira, setembro 23, 2019

Nebulosa Planetária e o cometa Africano

Noite de 21 Setembro: por algumas horas o céu proporcionou uma "aberta" que nos permitiu acompanhar o cometa C/2018 W2 (Africano) com alguma dificuldade devido à nebulosidade existente na área.
O cometa foi acompanhado entre as 21:05 e as 21:35 horas locais. As duas imagens do cometa representam respectivamente a integração de 12 imagens centradas no próprio cometa e no campo estelar.
Fizemos ainda algumas imagens da Nebulosa Planetária NGC 40 conhecida também como Nebulosa em Nó. Situada a 35 anos-luz na constelação de Cefeu e com o tamanho de 1 ano-luz e uma magnitude visual de 12,3, é uma estrela moribunda que ejectou as suas camadas externas a 10.000 ºC transformando-se numa Anã Branca.








sexta-feira, setembro 13, 2019

sábado, agosto 17, 2019

A Tromba do Elefante

Elephant Trunk Nebula ou Nebulosa da Tromba do Elefante, localizada a 2400 anos luz na constelação do Cefeu. A zona que aqui se deu relevo é o glóbulo escuro IC 1396A sendo as zonas avermelhadas provenientes da ionização do gás interestelar envolvente.


quarta-feira, agosto 14, 2019

Os Enxames Globulares da época



M13 com a NGC6207



Messier 3

terça-feira, agosto 13, 2019

M33 sob Bortle 9


quinta-feira, agosto 08, 2019

IC 546, Cocoon Nebula



Nebulosa do Cocoon processada com o Astro Pixel Processor com aplicação de masters flat, dark e bias.
Integração de 30 imagens de 120 segundos cada sob poluição luminosa Bortle 7 (Fajã de Baixo, Ponta Delgada).
Operação remota com o RBpi Stellar Mate.


segunda-feira, agosto 05, 2019

4 de Agosto: Nebulosa do Cocoon e Nebulosa do Crescente

Antes da tempestade surge a bonança. Foi com as condições meteorológicas favoráveis mas breves, que realizámos estas imagens na noite de 4 Agosto.
A Nebulosa de Emissão do Cocoon, catalogada como IC 5146 situada a 4000 anos-luz tem um diâmetro de 15 anos-luz e no seu interior nasce um cluster de estrelas. Uma estrela massiva central com 100000 anos de idade fornece a energia que é reflectida por esta nebulosa que também está rodeada por uma nebulosa escura.
A outra é a nebulosa de emissão do Crescente ou NGC6888, também situada na constelação do Cisne sob a forma de um arco, situada a 4700 anos-luz, deve a sua aparência ao forte vento estelar proveniente de uma estrela Wolf-Rayet que ejecta o equivalente a 10000 massas solares e o resultado é este arco de luz com 25 anos-luz. Esta estrela é uma possível candidata a Supernova nos próximos milhões de anos.
As imagens foram feitas na Fajã de Baixo com um índice Bortle 7 (poluição luminosa).



2 de Agosto: Nebulosa da Bolha com a M52 e a IC 1795

Aqui está o que foi possível fazer na noite do dia 2 de agosto antes que as nuvens cobrissem o céu: a Nebulosa da Bolha (NGC7635) e a Messier 52 (Enxame Globular de Estrelas) no canto inferior esquerdo.
A imagem é a integração de 26 outras de 120 segundos cada e foi processada com o software Astro Pixel Processor (APP) sem aplicação de masters flats,darks ou bias.




terça-feira, julho 23, 2019

Sessão 19 de julho 2019


quinta-feira, julho 18, 2019

Sessão de 17 de julho 2019


Aproveitando a noite de 17 de julho, apesar da Lua Cheia estar presente depois de nos ter agraciado com um Eclipse Parcial no dia anterior,  explorámos a área do céu a nordeste evitando a poluição luminosa mas antevendo contudo problemas com o efeito de extinção luminosa pelo facto de todos os objectos astronómicos visados se situarem perto do horizonte.
Utilizámos o nosso "setup" com controlo à distância pelo RPi (Stellar Mate) com exposições feitas com o Takahashi refractor 102FS a f/8 e um ZWO ASI294MC Pro a -10ºC, com ganho a 200 e exposições variando entre os 30 e os 120 segundos.
A autoguiagem foi feita com outra ZWO ASI224MC em off-axis-guide e utilizando Astrometria (plate and solve).
O processamento das imagens foi conduzido pelo Astro Pixel Processor sem utilização de masters darks, flats ou offsets.



Cluster Duplo de Perseu


IC1805, zona central da Nebulosa do Coração


M31 ou Galáxia de Andrómeda com uma das suas companheiras

domingo, julho 14, 2019

Sessão de 13 julho 2019 com Bortle 9-10!


Uma sessão de astronomia da noite de 13 de julho, virada a sul em condições de elevada poluição luminosa (Bortle 9 a 10): Lua em Quarto Crescente no quadrante da objetiva, iluminação pública de sódio lateral à janela do interior da casa e a poluição luminosa cada vez maior da própria cidade de Ponta Delgada.
A acrescentar problemas de guiagem com uma ZWO ASI224MC em Off-Axis-Guide (OAG) devido à constante passagem de nuvens no horizonte sul.
Software de processamento milagroso: Astro Pixel Processor sem qualquer pré-processamento com Masters Darks, Flats e Bias.







domingo, junho 30, 2019

Sessão de 30 de junho de 2019









terça-feira, junho 25, 2019

Astronomia sob desespero: o mau tempo veio para ficar ?


 Dia 23 junho, céu repleto de nuvens com abertas ocasionais e vento de NW: não seria a ocasião adequada pra fazer astrofotografia, mas o desespero falou mais alto.
Com o equipamento instalado dentro do escritório e com uma luz de sódio de iluminação pública situada lateralmente à janela, resolvemos tentar a sorte.
As primeiras 9 imagens foram para o enxame globular estelar Messier 4. Depois vieram mais nuvens que mais tarde cobriram todo o quadrante sul só permitindo fazer 5 imagens de 60 segundos cada. O objetivo era uma ténue nebulosa, a NGC6334 e conhecida pela Nebulosa Pata do Gato.
E foi tudo!!! com autoguiagem a falhar todas as vezes que as nuvens passavam em frente ou a focagem tresloucada sem saber se "in" ou "out" .... etc, etc...e ainda sem pré-processamento (sem masters flats, darks ou offsets).


Tentámos a Rho Ophiucus para focagem .Resultado: muito ruído de fundo!


quinta-feira, maio 30, 2019

Palestras e Workshops mais recentes


Em jeito de balanço da minha actividade como astrónomo amador, e pecando por não recordar algumas intervenções, em 19 anos foram 27 palestras sobre Astronomia que abrangeram praticamente todas as ilhas dos Açores, incluindo uma na ilha da Madeira e duas no continente Português.


quinta-feira, maio 23, 2019

A Vixen GPDX a trabalhar com um Raspberry Pi 3

Pronto para trabalhar e aguardando bom tempo:

Sistema de configuração dupla com distâncias focais desde 90-300mm ( Canon) a 400mm (refrator Baader) guiadas com uma ASI120MM e um Stellar Mate a gerir 6 ligações USB (montagem, GPS, ASI120MM, ASI294MC Pro, Canon 350D e DSUSB interface - para permitir exposições superiores a 30 segundos pela Canon 350D modificada), Kstars-INDI e Astrometria. 
O Stellar Mate Rasberry Pi 3+ conta com o apoio de um Hub usb na gestão da rede de dados.
A utilização da Astrometry.NET (plate solving) com a Vixen GPDX evita os procedimentos de colocação em estação bastando para o efeito ter a polar no visualizador do eixo polar.



OASA celebrou aniversário em 11 de maio de 2019 e entrou na maioridade.