quarta-feira, dezembro 17, 2014

Duas grandes regiões ativas cruzam neste momento o meridiano central no hemisfério sul do disco solar com grande complexidade magnética do tipo Ekc e Dkc, conhecidas como RA`s 2241 e 2242. Esta última produziu uma fulguração da classe M9 a 17 deste mês que deverá impactar o nosso planeta nas próximas horas e já causou interferências significativas nos operadores de rádio.
As duas imagens foram feitas pelas 13:30 ut em Ponta Delgada e mostram ambas as regiões com inúmeras manchas solares.

segunda-feira, novembro 24, 2014

Sessão de Astronomia de 22 novembro 2014 – Nebulosas e estrelas ionizantes


Na constelação do Cocheiro a IC405 ou a Nebulosa da Estrela Flamejante, é uma nebulosa de emissão e receção situada a 1500 anos-luz e com uma extensão de 5 anos-luz tem no seu centro a estrela brilhante azul variável AE Aurigae cujo potente vento solar ioniza s gás de hidrogénio circundante criando a emissão azulada e a avermelhada quando se dá a reabsorção dos eletrões.

 
IC417 ou Nebulosa da Aranha é uma nebulosa de emissão com 100 anos-luz de extensão e localizada a 10.000 anos-luz na constelação do Cocheiro. Esta nebulosa contém um Enxame Aberto conhecido como NGC1931 com cerca de 40 estrelas e cujo ambiente em redor é ionizado pela uma estrela massiva.
 
A região da IC1848 ou Nebulosa da Alma situada na Cassiopeia e localizada a cerca de 6500 anos-luz do nosso sistema solar, é uma nebulosa de emissão que envolve alguns enxames globulares ionizantes e cuja radiação potente faz desta região um berçário de novas estrelas. 

 
A galáxia gigante elipíca Maffei 1 e os enxames abertos Czernik 11 e King 4, situam-se na constelação da Cassiopeia. Maffei 1 pertence a um grupo distinto de galáxias IC342/Maffei, situa.se a 3,5 Megaparsecs da nossa galáxia sendo a galáxia elíptica gigante mais próxima de nós e é constituída por inúmeros enxames globulares.
 

domingo, novembro 16, 2014

Acompanhamento da ex Região Ativa 2192, agora 2209

 
A novíssima 2209 antiga 2192 continua a apresentar uma complexa teia magnética beta-gama-delta com uma morfologia Fkc e prometendo novas fulgurações, depois de ter produzido ontem outras duas da classe M mas sem ejeção de massa coronal como nos vem já habituando desde que transitou o disco solar como Região Ativa 2192.
 
 
No dia 19 de novembro, apesar da simplificação da sua estrutura geral o grupo continua bastante complexo para poder produzir algumas fulgurações.
 
 
 
A nova região 9216 a SE no disco solar e a RA2209 a aproximar-se do limbo oeste e que se tem apresentado muito estável agora como Fko. O disco solar foi obtido com a media de 10 imagens de um ccd mx916 da StarlightXpress e um apo 66mm a f/6.

sábado, novembro 15, 2014

NGC1491 nebulosa de emissão no Perseu

 
Nebulosa de Emissão na constelação do Perseu numa região HII onde nuvens de hidrogénio são moduladas pelo vento solar e pela radiação ultravioleta emitida pela estrela central que aparece na imagem. A imagem resulta da integração de 20 imagens de 45 segundos cada e foram obtidas na noite de 14 de novembro depois de uma sessão de astronomia observacional no Colegio do Castanheiro. As condições atmosféricas ainda permitiram fazer estas imagens.

terça-feira, novembro 04, 2014

Galáxias e mais galáxias

Esta imagem, resultante da adição de 10 outras de 45 segundos cada, foi feita quando pesquisava Supernovas.
Representa a região da Messier 86 do Aglomerado da Virgem e que faz parte de uma das grandes estruturas do nosso Universo constituído pelo Super-aglomerado de Galáxias (com mais de 2000 galáxias) do qual faz parte o Grupo Local onde se insere a nossa própria galáxia.
Nesta imagem ainda é perceptivel a luminosidade que as envolve.


segunda-feira, novembro 03, 2014

Supernova na M61

Uma Supernova tipo Ia iluminou a M61 ou NGC4303 na constelação da Virgem a 55 milhões de anos-luz.
A descoberta foi feita no dia 29 outubro por Koichi Itagaki.
Outra Supernova, a SN2008in, já havia sido descoberta por Koichi Itagaki na mesma galáxia em 26 dezembro 2008.
A imagem aqui presente é o resultado da integração de 20 imagens de 45 segundos cada realizadas às 4:30 AM em Ponta Delgada sob condições atmosféricas muito más e com uma extinção atmosférica também muito alta dado a galáxia se encontrar muito baixa no horizonte.
A SN2014dt tem uma magnitude visual de 13,7.

domingo, outubro 26, 2014

Sorte de Amador

Dia 26 outubro 2014: a RA2192 pelas 10:00 UT iniciava a sua quinta fulguração desde que apareceu no limbo SE do Sol. Uma fulguração da classe X2,0 que atingiu o seu máximo pelas 10:56 UT.
Quando iniciávamos as nossas observações solares entre as 10:00 e as 10:30 UT não esperávamos presenciar o início desta explosão: sorte de astrónomo amador.

Aqui ficam as imagens do acontecimento feitas na banda da emissão do espetro visível e do Halfa.

 
O mosaico mostra a evolução desta Região Ativa solar desde o seu aparecimento até à data de hoje.
 
 

domingo, outubro 19, 2014

A mãe de todas as manchas solares do Ciclo 24º

 
 
Uma das maiores manchas solares destes últimos ciclos de atividade solar acaba de rodar no limbo leste do disco solar, com uma magnitude magnética gigantesca do tipo Fkc e albergando mais de 19 manchas solares. O seu imenso potencial magnético fez com que às 05:30 H da manhã produzisse uma fulguração de raios X e ultravioletas (classe X1.1), direcionada ao nosso planeta. Não se verificou até agora nenhuma Ejeção de Massa Coronal mas é muito provável que ainda o venha a fazer no âmbito de outras fulgurações.
Quem tiver meios para ver esta gigantesca mancha solar poderá fazê-lo com toda a segurança usando filtros adequados (óculos de soldador servem perfeitamente).
 
A sua evolução marcante a 24 de outubro mantendo-se como uma Fkc com um tamanho aproximado de uma dúzia de diametros terrestres e depois de ter lançado para o espaço uma fulguração X1,6 e diversas M e C`s que a tem fragmentado sucessivamente aumentando a sua complexidade magnética.

 
Após a fulguração X3,6 do dia 25 a RA2192 fragmentou-se apresentando duas fortes pontes de luz na mancha solar principal. Mostramos aqui a sua evolução após as fulgurações principais que afetaram esta Região Ativa.
 
 
 

sexta-feira, outubro 03, 2014

Clusters de EStrelas

M13 é um Cluster ou Enxame Globular de mais de 300.000 estrelas com um diâmetro de cerca de 146 anos-luz e situado na Constelação de Hércules e  é um dos maiores agrupamentos de estrelas vistos do hemisfério norte.

 
χ Persei ou Cluster Duplo de Perseu está situado na constelação de Perseu a 7600 anos-luz e é constituído pelas NGC 884 e NGC 869.

King 7 é um Cluster Aberto de Estrelas a 2200 anos-luz
 

quarta-feira, outubro 01, 2014

Regiões Ativas de partida

 
As Regiões Ativa solares que haviam marcado os últimos tempos com algumas erupções de raios X e fulgurações da classe M estão agora a rodar no limbo oeste do Sol. Entretanto outras duas regiões de idêntica complexidade dispõem-se a produzir alguns eventos da mesma natureza. Reparar na extensa região de Fáculas que rodeiam o trio constituído pelas RA`s 2171, 2172 e 2173.

segunda-feira, setembro 29, 2014

Pacman

 
NGC 281 é também conhecida como a Nebulosa do Pacman devido à sua semelhança com esta personagem e constitui na constelação da Cassiopeia, uma vasta região de hidrogénio molecular ionizado pela radiação ultravioleta das estrela azuis que ali nascem continuamente e por Glóbulos de Bok, poeira escura de óxidos de carbono, silíca, hélio e hidrogénio molecular.

sábado, setembro 27, 2014

Duas noites com os astros

As noites de 25 e 26 de setembro foram propiciadoras á realização de algumas observações das quais deixamos algumas imagens.

Outra Supernova fez a sua aparição na galáxia longínqua UGC 2855, na constelação da Girafa. Do tipo Ia devido á explosão de uma Anã Branca que num sistema binário "canibalizou" a sua companheira estelar.

 
Entretanto o cometa C/2014 E2 Jacques foi apanhado nesta imagem de 120 segundos apenas e que mostra curiosamente a passagem de um satélite artificial.
 
 
Na constelação do Pégaso a 46 milhões de anos-luz, apontámos para a NGC 7331 que faz parte do Grupo de galáxias Deer Lick, mesmo ao lado do célebre Quinteto de Stephan, que uma noite destas visitaremos.
 
Por cima das nossas cabeças, circulava a maior nebulosa planetária, conhecida por Messier 27 ou Nebulosa do Haltere, cobre metade do diâmetro aparente de uma Lua Cheia e está a 1200 anos-luz na constelação da Raposa.
 
 
Outra Nebulosa mas de caraterísticas muito diferentes sendo uma autêntica bolha de gás em expansão, é a NGC 7635 ou Nebulosa da Bolha, situada na constelação da Cassiopeia a cerca de 7100 a-l. A nuvem de gás brilha á custa da pressão do vento estelar (2000 km por segundo), da estrela que se encontra no seu centro e que é 40X mais massiva que o Sol. Esta bolha tem cerca de 6 anos-luz.
 
 
Aproveitando a nossa presença na Cassiopeia fizemos uma visita a um grande região nebular conhecida como a Nebulosa do Coração e de que faz parte a IC 1795 como nebulosa de emissão. É uma região situada a 6000 a-l e de intensa produção estelar a partir das vastas nuvens de hidrogénio.
 
 

Tendo visto a Nebulosa do Haltere, teríamos que ver a sua versão mais pequena, a Messier 76 ou Nebulosa Planetária da Rolha (Cork), expandindo-se apenas a 46 km por segundo e situada na constelação de Perseu a 10.000 anos-luz.
 
 
Finalmente demos uma vista de olhos pela região da IC 59 e da IC 63. Esta última é uma nebulosa mista de reflexão e emissão localizada a 600 a-l na Cassiopeia e  que tem como vizinha (a 3-4 a-l) a brilhante estrela Gamma Cassiopeia que a faz brilhar com a sua intensa radiação.
 
 

terça-feira, setembro 23, 2014

A atividade solar

 
O Sol apresentava-se com dois grandes grupos de manchas solares, nomeadamente a Região Ativa 2172 com uma configuração Ekc e desenvolvendo multipolaridades que fizeram subir as hipóteses de produção de fulgurações  de raios X em 10%, e ainda a Região Ativa 2171 da classe Eao.
Outro grupo cingia-se a uma simples Hrx (RA 2173).
Em todo o caso, qualquer delas nas suas dimensões excediam as do nosso planeta.

domingo, setembro 21, 2014

O Jacques e a SNdx na muito ativa NGC337


A Supernova C/2014cx foi descoberta em 2 setembro deste ano  por Koichi Itagaki. É do tipo II e apresenta-se de momento com uma magnitude em torno dos 14,3. A NGC 337  é uma galáxia espiral barrada (SBcd) localizada na direcção da constelação da Baleia e constitui uma fonte de produção massiva de novas estrelas. Recentemente foram descobertos 8 objetos ultraluminosos emissores de raios X e anteriormente a esta descoberta outra Supernova do tipo IIP, a SN 2011DQ havia explodido nesta galáxia muito ativa tendo sido observada em 15 maio de 2011 pelo Observatório Sul Africano Klein Karoo.

C/2014 E2 (Jacques), provisóriamente designado por S002692, é um cometa de período longo descoberto pelos astrónomos brasileiros do Observatório SONEAR, nomeadamente Cristóvão Jacques Lage de Faria, Eduardo Pimentel e João Ribeiro de Barros na noite de 13 março deste ano.

Neste momento o brilho deste cometa, que foi visível com binóculos, está a enfraquecer atingindo agora os 11,5.

 

sábado, setembro 06, 2014

Sempre a Lua

CCD MX916 1/1000s 66/f 400

segunda-feira, setembro 01, 2014

Conjunção Lua - Saturno

31 agosto 2014 em Rocas do Vouga com um ETX90 e um smartphone em foco direto numa ocular de 26mm.

quinta-feira, julho 17, 2014

A Nebulosa do Euro


Situada na constelação do Cisne tem cerca de 25 anos-luz de diâmetro, e está a aproximadamente 4.7 mil anos-luz de distância da Terra (felizmente!).
É uma nebulosa muito difícil de fotografar dado que as estrelas brilhantes que a rodeiam “queimam” a imagem da nebulosa quando fazemos exposições de longa duração.
Em todo o caso realizámos 30 exposições de 40 segundos cada que depois de integradas e pré-processadas com os respetivos darks, flats e offsets, foram suficientes para revelar a zona mais luminosa da emissão do hidrogénio da bordadura da nebulosa que faz lembrar o símbolo €. Não utilizámos também os filtros normalmente aconselhados (Halfa ou OIII).


A estrela central da nebulosa é uma Wolf-Rayet (WR 136), considerada uma estrela rara muito muito massiva mas que perdeu a sua massa de forma acelerada devido aos fortes ventos solares que também moldam o ambiente á sua volta, expelindo o equivalente à massa do nosso Sol a cada 10.000 anos. Dentro de alguns milhões de anos, a WR 136 deverá dar origem a uma supernova.
A imagem dá relevância às estrelas azuis dado ser uma região propícia á formação de estrelas, nebulosas escuras resultantes da concentração de gás e poeira cósmica ali existente.

quarta-feira, julho 16, 2014

Um DAMACLOIDE: um asteroide que se tornou cometa

 
 
 


Pela primeira vez observou-se um asteroide , designado por2013 UQ4 e descoberto a 23 de outubro pelo Catalina Sky Survey, a transformar-se num cometa, o C/2013 UQ4 Catalina. Anteriormente a este caso, em 2002, o NEO 2001 OG108 havia dado origem a uma cabeleira cometária e foi por isso reclassificado também como cometa: C/2001 OG108 (LONEOS).

Em 7 de maio de 2014, Taras Prystavski e Artyom Novichonok observavam o asteroide quando deram conta do desenvolvimento de uma cauda de poeiras.
Este tipo de asteróide pertence á classe dos Damacloides e são caracterizados por serem objetos de período longo com órbitas retrógradas e muito excêntricas.

Presentemente passa a grande velocidade na constelação do Dragão vindo do hemisfério sul, crescendo em magnitude e tendo atingido a distância mínima ao nosso planeta de 47 milhões de quilómetros a 10 de julho. Percorre cerca de 7 graus em 24 horas o que produz imagens como aquela feita por nós na madrugada de 16 de julho em que é visível o seu trajeto em cerca de 35 minutos.
Em grande medida isto dificulta o posicionamento do cometa no campo de visão reduzido de um telescópio com maior ampliação.

A imagem é o resultado da integração de 32x40 segundos a 1600 iso com uma Canon 350D modificada e dotada de um filtro anti-poluição luminosa (CLS clip system) em foco direto num Celestron de 203mm com um redutor de focal f/6.3. Na mesma imagem, no canto superior direito é visível uma galáxia PGC de magnitude 15,1.

Simulação produzida pelo SkyMap mostrando o trajeto do asteroide/cometa.

terça-feira, julho 01, 2014

Atividade solar

Com o aparecimento destas duas Regiões Ativas cresceram as possibilidades de se produzirem fenómenos fulgurativos de raios X nos próximos dias.

domingo, junho 29, 2014

Uma Supernova na galáxia profunda NGC4386 e outras galáxias

 
Galáxia: NGC 4386 Supernova SN2014bv Tipo Ia
Coordenadas supernova: 12h 24m 31s +75º 32' 09"
Estrela de calibração 149: magnitude 14,940 (V),14.508 (Rc) e 15,540 (B)
Mais informação: http://www.rochesterastronomy.org/sn2014/sn2014bv.html

 
M101 na Ursa Maior

 
M100 na Virgem