quarta-feira, dezembro 13, 2006

terça-feira, dezembro 05, 2006

Uma X9 em grande


Pelas 10:35 UT a Região Activa 10929 despoletava uma forte erupção de matéria coronal com uma Fulguração intensa de raios X e de outras radiações cobrindo praticamente todo o espectro electromagnético. Esta explosão não terá grandes efeitos no nosso planeta dado que a RA10929 está apenas agora a rodar no limbo solar leste e pelo chamado Efeito Torniquete, grande parte da radiação será desviada. Em todo o caso a enorme mancha solar já visível poderá ser acompanhada visualmente durante a próxima semana, a olho-nu (desde que usemos os filtros apropriados). Esta fulguração da classe X9 é uma das maiores na sua categoria e é a maior deste recém 24º ciclo solar.

segunda-feira, dezembro 04, 2006


O "meu site" geográfico que 2o anos atrás ficava nos arredores da cidade de Ponta Delgada, agora começa a ver-se envolvido pelos tentáculos da construção (felizmente já ordenada). O crescimento de Ponta Delgada está a fazer-se à custa de zonas rurais das quais vai subtraindo o encanto das suas próprias características: é o caso da Fajã de Baixo que está com cada vez menos áreas de estufas. Os temporais ajudam ao propósito e depois fazer ananás em estufa de plástico é mais rentável. Provavelmente daqui a 50 anos uma nova ciência a "arqui-arquitectura" vai atribuir prémios e incentivos a quem mantiver ou recuperar as estufas de vidro, os fontenários, os portentosos e altaneiros muros secos de pedra que protegiam as culturas, os arruamentos ladrilados, as construções de telha regional, etc,etc.
Só esperamos que este crecimento não se faça também á custa de maior poluição liminosa e daquela outra mais conhecida. Fica aqui um apelo à Camâra Municipal de Ponta Delgada que tome em atenção a iluminação das novas zonas quasi-urbanas.
Entretanto o mau tempo parece querer assentar arraais defenitivamente. Está dificiel termos uma "aberta" para umas observações ao asteróide Iris.

quarta-feira, novembro 22, 2006

A luta contra a poluição luminosa



Nos Açores proliferam os maus exemplos de iluminação pública e privada, sem que as entidades oficiais, nomeadamente os Municipios, se prestem a regulamentar com urgência esta matéria. A sua importância é grande, dado por um lado, estarmos a subtrair a possibilidade de os nossos filhos terem a visão do céu nocturno que os nossos avós tiveram, e por outro lado, estarmos a aumentar o impacto ambiental e a destruirmos as hipóteses de turismo nesta área. Por outro ainda fazemos crescer os nossos gastos energéticos iluminando o que não devemos.

Não vemos as associações ambientais existentes nos Açores tomarem posição quanto a este assunto. Provávelmente os subsídios que recebem o justifiquem.

Imagem animada de Frédéric Tapissier

quinta-feira, novembro 16, 2006

Os progressos da 10923

A RA 10923 tem vindo a rodar na face visível do Sol de forma muito estável. Contudo é continuar alerta para o caso de produzir alguma EMC.

segunda-feira, outubro 16, 2006

Um novo cometa C/2006 M4 SWAN

O cometa M4 SWAN visto no dia 15 de Outubro na sua trajectória junto à constelação do Boieiro apresentando a sua cor verde-esmeralda intensa própria do CN (ácido cianídrico) e do C2 (carbono diatómico).

terça-feira, outubro 03, 2006

Página Renovada

imagem artística da região das Nebulosas América do Norte e Pelicano
obtida com Canon EOS 350D por J. Porto
renovámos a nossa imagem

terça-feira, setembro 26, 2006

O OASA vai abrir

No dia 23 de Setembro foi inaugurada uma das estruturas que compõem a Rede de Observatórios regionais, o OVGA - Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores.
No seu discurso o presidente Carlos César disse:

"Este Observatório está incluído numa rede que o Governo dos Açores tem vindo a criar, em parceria com diversas instituições, visando dotar a Região de um dispositivo de equipamentos de demonstração e de divulgação da cultura científica que cubra os principais campos do conhecimento, com particular ênfase para aqueles que, entre nós, podem apresentar especificidades que justificam uma abordagem mais aprofundada e ou diferenciada.

Nesta rede, para além deste Observatório, ficam integrados o Observatório do Ambiente e Clima, em Angra do Heroísmo, já em fase avançada de construção, e o do Mar, na cidade da Horta, bem como o Observatório Astronómico de Santana, no concelho da Ribeira Grande, o qual, depois de inesperadas complicações, iniciou já o percurso que o levará à sua reabertura."


Ficamos a aguardar resultados desta importante decisão tomada corajosamente contra ventos e marés.
A Região, a sua Juventude e a Ciência assim o exijem!!
Votos de que o sobre o OASA paire o espírito de empreendedorismo que o fez nascer.


Uma carta da poluição luminosa


A zona em torno de Rocas do Vouga (Sanfins e Arestal) são zonas previligiadas para a observação astronómica, de acordo com a carta de poluição lumonosa que aqui apresentamos. A zona cai na definição de "Bleu nuit", que é descrita como zona de Bom Céu onde é possível ver a olho-nu entre 2000 a 3000 estrelas e onde a Via Láctea é visível de forma muito nitida e onde os halos lumonosos estão muito longe e dispersos e não afectam a qualidade do céu. Ou seja numa esca de 1 a 10, situa-se a nossa zona de observação no escalão 9.

domingo, setembro 17, 2006

Uma Muralha Lunar

Clique na imagem para ampliar e veja a cadeia montanhosa na região polar norte
Canon EOS 350D

sábado, setembro 16, 2006

Imagens do Verão e Tecnologia CMOS

M13 ou Enxame Globular de Hercules

M57 ou Nebulosa do Anel na Lira


M31 ou Galáxia de Andrómeda
Canon EOS 350D a 1600 ISO e C8 a f/10

sexta-feira, setembro 08, 2006

Lua quase Cheia


A Lua no dia 8 de Setembro numa fase 97,9% de Lua Cheia a caminho do Quarto Minguante.
No dia 7 estava no seu perigeu.

segunda-feira, agosto 14, 2006

Astronomia no Verão




Desde 1997 que a Astronomia no Verão é um acontecimento nacional. Este ano tivemos o grato prazer de assistir a uma sessão liderada pelo Zé Matos junto ao Farol da Barra em Aveiro. Aqui ficam algumas imagens que dão uma ideia da boa adesão da população a estas iniciativas. Como o Zé Matos já nos habituou, tivemos uma palestra muito bem estruturada sobre temas astronómicos gerais do dia-a-dia que por si só despertam muito o interesse de toda a gente. Contámos com observações de Júpiter e da Lua das quais fizémos algumas imagens em afocal num Celestron de 6" e acabámos o nosso serão em amena cavaqueira no Café Farol.

domingo, julho 23, 2006

As luas Europa e Io


No dia 23 de Julho pelas 23:30 UT obtivemos esta imagem de Júpiter com A lua Europa à direita e a lua Io à esquerda.

quinta-feira, julho 20, 2006

Mais um bom exemplo amador


Novo 'Observatório de Ribeira Grande' no concelho de Fronteira, Alto Alentejo.
Trata-se do maior observatório amador público que entrará em funcionamento no final de 2006.
Com o grande objectivo de promover a astronomia e actividades relacionadas numa região privilegiada pela qualidade de céu nocturno.

O observatório irá incluir diverso equipamento do qual se destaca:
-
Montagem Paramount ME da Software Bisque
-
Celestron C14 OTA
- Câmaras SBIG, Espectrografo, óptica adaptativa etc..

O sítio para além de ter uma qualidade inexcedível de céu nocturno possui uma paisagem soberba.No sopé do monte passa o rio, local onde se pode tomar banho ou nadar, e que possui actividades como um 'campo' de pólo aquático.
Dispõe ainda de um restaurante que pode fornecer refeições e todo o apoio logístico aos visitantes.Não está visível nas fotografias mas existe mais abaixo do observatório piscinas públicas.

Um local ideal para uma festa de Astronomia, com todo o apoio necessário nas imediações.
A estrutura da obra foi desenhada em colaboração com o CAUP (Centro de Astrofísica da Universidade do Porto) e Câmara Municipal de Fronteira.

Os dados estão lançados, o material é de excelente qualidade, os tubos ópticos são de grande abertura, as câmaras digitais são extremamente sensíveis, o local do observatório para além de ser privilegiado pela qualidade de céu nocturno possui uma paisagem soberba, todos os condimentos estão reunidos para que o observatório de Ribeira Grande - Fronteira seja um sucesso.

Aqui nos Açores, o projecto OASA – Observatório Astronómico de Santana, continua com as portas fechadas ao público depois de ter sofrido uma péssima gestão pela sua última direcção (presidida por João Cabral), que o levou á falência. Outros dizem ser um projecto “megalómano” como se promover a divulgação da ciência (neste caso astronomia) junto a milhares de pessoas, alunos das escolas e desenvolver projectos científicos, como o fizemos anteriormente, constituísse um mal. Opções clubistícas de quem usa palas nos olhos!!

terça-feira, julho 18, 2006


Passo a reproduzir na íntegra o texto da resposta:

"Exmo. Senhor Chefe de Gabinete de
Sua Excelência o Presidente daAssembleia Legislativa da
RegiãoAutónoma dos Açores
Rua Marcelino Lima
9900 Horta

Nossa referência Data
SAI-GSRP-2006-870 2006.06.29
Proc. 1.8
ENT-GSRP-2006-1163

ASSUNTO: REQUERIMENTO Nº 152/vIII-OBSERVATÓRIO ASTRONÓMICO DE SANTANA



Encarrega-me S. Exa., o Secretário Regional da Presidência de em resposta ao requerimento nº152/VIII, subscrito pelos Senhores Deputados José Manuel Bolieiro e António Pedro Costa, do Partido Social-Democrata informar que decorrem contactos no sentido de reabrir o Observatório Astronómico de Santana (OASA) tão cedo quanto possível.

Com os melhores cumprimentos

O Chefe de Gabinete

Hermenegildo Galante"


De Saturno com amor


Esta imagem fabulosa da Cassini das duas maiores luas de Saturno, Rhea (à direita) ocultando Titan (à esquerda) dá-lhe uma estranha aparência anelar enquanto Rhea sem qualquer tipo de atmosfera, mostra o seu crescente.
Fonte: The Cassini imaging team
Image Credit: NASA/JPL/Space Science Institute

domingo, julho 16, 2006

Júpiter


No dia 13 de Julho uma boa "aberta" permitiu-nos usar a "janela" de observação (22:10 UT) que nos "mostrava" o planeta Júpiter com a sua GMV acabada de rodar. A imagem é o resultado do "stack" de 4 AVIs de 300 "frames" cada devidamente processados pelo Registax 3 e Maxim DL.
Usámos um Celestron de 8 polegadas a f/25 e uma webcam. Aqui fica...

quarta-feira, julho 12, 2006

Impacto de Asteróide a Norte de Nazaré (área de Ejecta)


Esta possível zona de impacto situa-se ao nível da Peninsula Ibérica no limite CT ou Limite Cenomaniense-Turoniense que envolve mesmo extinção biológica à escala de género e espécie e ainda anomalias geoquímicas como enrequecimento em Iridio bem como a presença de sedimentos ricos em carbono de oriem orgânica. No entanto para a Nazaré e depois de sondagens feitas pelo DSDP, IPOD e ODP, feitas em frente às costas submarinas portuguesas, não mostraram alterações ou deformações do sedimento da idade correspondente ao período Cenomaniense superior. Em consequência, hoje em dia, defende-se a hipótese mais provável de que a brecha da Nazaré poder estar relacionada com processos tectónicos locais.

Impacto Regiões a Sul e a Norte de Bragança

Região Norte de Bragança

Região Sul de Bragança



IMPACTOS DE ASTERÓIDES EM PORTUGAL


IMPACTOS EM TERRITÓRIO PORTUGUÊS

Como resultado da pesquisa feita através do Google Earth, escrutinando muito rapidamente o território português continental, encontrámos algumas estruturas morfológicas que nos fazem supor terem sido originadas alguns milhões de anos atrás, por impactos de pequenos asteróides ou meteoritos. É evidente que a orografia e a geologia destas formações se encontram muito erosionadas pela meteorização progressiva ao longo dos milénios, seja por factores humanos (repare-se no aproveitamento das encostas de possíveis crateras para propósitos agrícolas) seja por factores do clima e da actividade geológica.


Em todo o caso ficam aqui as imagens retiradas ao Google Earth, e que se reportam a duas zonas em redor da região de Bragança, uma a Sul (a maior) e outra a norte, e ainda outra mais pequena situada perto de Aveiro (a leste do Estádio Municipal). Também apresentamos aquilo que já há alguns anos foi identificado como um possível ejecta de impacto a norte da Nazaré. Foi proposto na altura que poderia estar relacionado com o monte submarino Tore , o qual, pela sua morfologia, poderia tratar-se de uma estrutura de impacto situada no Oceano Atlântico, frente à costa portuguesa (Monteiro et al, 1997).


Relativamente a outros impactos menores e mais recentes, em 1877 foi descoberto em campo aberto, a cerca de um metro de profundidade, em Moreira do Lima (margem direita do rio Lima), um meteorito com 162 quilogramas. Muito mais recente, foi a queda em Ourique de um meteorito, no dia 28 de Dezembro de 1998 e que pesava perto de 20 quilogramas, e ainda o do Sabugal, cuja queda se deu a 27 de Novembro de 1999 e do qual apenas se recolheram alguns fragmentos.

quarta-feira, maio 31, 2006

Requerimento

PSD
Grupo Parlamentar

Requerimento

Assunto: Observatório Astronómico de Santana- OASA


Foi inaugurado com pompa e circunstância pelo Governo Regional o chamado Observatório Astronómico de Santana, na Vila de Rabo de Peixe, uma das poucas organizações científicas dos Açores, que promoveu com sucesso o conhecimento astronómico e projectou a Região junto da comunidade científica internacional.

Na década de 90, graças ao empenho, esforço e dedicação de alguns Astrónomos Amadores dos Açores, liderados pelo Dr. João Porto, o entusiasmo à volta do OASA foi tal que congregou mais de 200 sócios. Inicialmente sem sede própria, conseguiram apoios do Governo Regional e instalaram-se na costa norte da ilha de S. Miguel, em Santana, localização de excelência para a observação astronómica.

Trata-se de um Observatório Astronómico que possui um Planetário, uma Cúpula insuflável para sessões virtuais, com capacidade para 40 pessoas, para além de muitos equipamentos de observação do sistema solar. Foi o 1º Observatório em Portugal e um dos maiores da Península Ibérica.

O OASA ganhou notoriedade pela intensa actividade junto da comunidade em geral e das escolas da Região, ao ponto de desenvolver actividades noutros pontos do país.

É do conhecimento público que o OASA fechou as portas e encontra-se inactivo, com sofisticados e caros equipamentos abandonados, representando para a comunidade científica portuguesa uma perda incompreensível.

Ao que se julga saber, a situação deve-se ao diferendo que opõe o OASA ao Clube de Tiro de S. Miguel, sedeado nos mesmos terrenos propriedade da Região Autónoma, o que resultou em desentendimentos entre as respectivas direcções.

De acordo com os fundadores do OASA, aguarda-se que o Governo Regional resolva o problema, desanexando os terrenos ou expropriando ao Clube de Tiro de S. Miguel a gleba de terreno que outrora foi cedida e pertença da Região.

Assim, ao abrigo das disposições estatutárias e regimentais aplicáveis, os Deputados subscritores do Grupo Parlamentar do PSD requerem ao Governo Regional o seguinte:

Tratando-se de uma organização de manifesto interesse colectivo, está o Governo Regional disponível para intervir e ultrapassar o diferendo?
Tendo os terrenos sido cedidos pela Região ao Clube de Tiro, irá o Governo Regional proceder à desanexação ou expropriação da gleba de terreno indispensável ao Observatório Astronómico de Santana?
O que pretende o Governo Regional fazer no imediato no sentido de salvar o Observatório Astronómico dos Açores?


Ribeira Grande, 29 de Maio de 2006



Os Deputados

quinta-feira, maio 11, 2006

O espectáculo perdido



Na madrugada do dia 8 de Maio o fragmento "C" do cometa 73P-SW passou em frente ao anel da Lira ou da Nebulosa Planetária M57. No entanto, devido ao mau tempo que se fez sentir não nos foi possível obter uma imagem que registasse este espectáculo único. Porém fica aqui uma imagem de Stefan Seip de Estugarda (Alemanha). Vê-se tambem a galáxia IC 1296.
Entretanto se as condições atmosféricas melhorarem iremos tentar fazer mais algumas imagens da aproximação à Terra dos fragmentos do cometa 73P.

domingo, abril 30, 2006

Uma infâmia


Até que enfim é denunciado publicamente a infâmia feita ao OASA.

Como fundador do OASA só espero que:
1. o governo regional desanexe os terrenos, como propus em tempos, expropriando aquilo que um dia foi da região,
2. que a direcção, que levou o OASA à falência (eram sócios do Clube de Tiro!!) pagem pessoalmente o que devem por actos de má gestão,
3. que se inicie uma nova vida cheia de projectos, e que os antigos fundadores, demitidos por sua própria iniciativa, regressem para darem o seu contributo aos Açores.

quinta-feira, abril 27, 2006

Uma aberta para o 73P/SW



Finalmente a noite de 23 para 24 permitiu-nos ver o cometa 73P, nomeadamente o fragmento "C". Por um pequeno espaço de tempo de cerca de 3 horas, o céu manteve-se limpo...depois vieram as nuvens baixas de sudoeste. O 73P -C apresentava-se com forte condensação e uma cabeleira apreciável (como mostra o grafico). Tentámos fazer alguma fotometria com as imagens disponíveis, obtendo como resultado uma magnitude de 9.5. Aqui fica uma imagem resultante da integração de outras 8 num total de cerca de 10 minutos de exposição.

sábado, abril 08, 2006

O cometa 73P fragmentado


Parece que o cometa 23P Schwassmann-Wachmann fragmentou-se em 20 cometas menores e a sua (suas) passagem(ns) serão visíveis em Maio. Na madrugada de 8 de Maio, pelas 03:00 horas, se o tempo permitir, poderão ser feitas belas imagens, pois o corpo principal deste cometa passará perto da M57. Vejam o gráfico respectivo.



Entretanto o Sol presenteou-nos com bonitas imagens da mancha solar 10866 rodando no seu limbo oeste e com uma Proeminencia tambem situada a oeste. Reparem na granulação da superficie solar, a fotosfera. A imagem foi obtida com uma webcam (toucam pro) e um ETX90.




Uma Proeminencia bonita e o grupo
10866 a rodar no limbo Oeste, visto
em H-alfa.



Repare da granulação da Fotosfera. Presentes os grupos 10866 (a rodar no limbo)
e o grupo 10865, que também aparece acompanhado de uma gaivota
na imagem abaixo.



Entretanto uma grande mancha solar surgiu, como podem constatar pela imagem!!
Não! Não é uma mancha solar, mas apenas uma gaivota que se atravessou no caminho. Ao lado, no canto inferior direito, sim... é a mancha solar classificada como 10865.


Parecia ser uma mancha solar!
Apenas uma gaivota que se atravessou no nosso campo de observação.
No canto inferior direito, essa sim, uma mancha solar!

sexta-feira, abril 07, 2006

Do tamanho do planeta Neptuno


O Sol em grande Performance

A grande mancha solar está prestes a rodar no limbo oeste do Sol. Até agora, apesar de todo o potencial energético armazenado ( veja ó reticulado de fáculas brilhantes à sua volta), ainda não produziu qualquer "flare". Entretanto a SO desenvolve-se uma grande Proeminencia em forma de arco e de estilete. Note o "glóbulo" de plasma na sua extremidade.
A região activa 10866, assim como as outras, teem-se pautado por fragmentarem as suas umbras num processo interno de criação de multipolaridades magnéticas que provavelmente ajudam na dissipassão da energia necessária à explosão de Fulgurações. Em todo o caso, mesmo que haja uma fulguração com ejecção de matéria coronal para o espaço e raios X, já não seremos atingidos.

quinta-feira, abril 06, 2006

Preparada para explodir


a Região Activa 10685 acumulava energia preparando-se para produzir uma Fulguração com Ejecção de Matéria Coronal para o espaço. Ontem, dia 5 de Abril de 2006, em imagem obtida por nós na banda da luz visível, era perfeitamente notório o desenvolvimento gigantesco da mancha leader deste grupo, com a existência de duas "pontes de luz" que atravessavam as umbras. Se houver uma Fulguração é muito provável que não atinga o nosso planeta, dado que este grupo roda já próximo do limbo oeste do Sol.

quinta-feira, março 30, 2006

O Sol reactivado


Não foi possível ver o eclipse devido às péssimas condições climatéricas que se fizeram sentir durante todo o dia de ontem. Hoje, 30 de Março, o céu permitiu-nos vislumbrar um pouco de azul, que aproveitámos para acompanhar a actividade solar. A região activa 10865 desenvolveu uma bipolaridade muito grande podendo nos próximos dias produzir algumas fulgurações menores ou pelo contrário entrar em processo de decaímento. A imagem global das duas regiões em H-alfa mostra a conturbação magnética desta RA e da outra que surgiu anteontem.
Outra região muito activa rodeada de fáculas, muito nitidas na imagem, é a 10866, acabada de rodar no limbo leste e que se apresenta como uma Axx. Clique no mosaico para fazer zoom.

segunda-feira, março 27, 2006

A Lua prepara-se para o Eclipse Solar


O Eclipse Solar terá lugar na próxima 4ª feira, dia 29, iniciando-se às 08:36 UT no Brasil, viajando o eixo da sombra da Lua (com uma largura de 129 km) sobre a superficie terrestre a uma velocidade de 9 km/s. Entretanto a Lua prepara-se para atingir o nodo. Esta imagem do "croissant de Lune" foi feita no dia 27 de Março pelas 07:00 UT. Sobre a Ecliptica podia-se ver também o planeta Vénus muito brilhante.






Consulte http://sunearth.gsfc.nasa.gov/eclipse/SEmono/TSE2006/TSE2006.html
ou ainda http://sunearth.gsfc.nasa.gov/eclipse/OH/OH2006.html#2006Mar29T

quinta-feira, março 23, 2006

ainda a Actividade Solar


No dia 23 de Março, a região activa 10862 rodava na faixa equatorial, como é próprio desta fase do fim 23º e vésperas do início do 24º ciclo solar, aproximando-se do limbo oeste. Apresentava na luz visível uma complexidade bipolar do tipo Bxi rodeada por uma vasta área de fáculas muito brilhantes, como mostra a imagem. As imagens em H-alfa (a "luz" da 1ª linha de emissão do Hidrogénio) mostram também a actividade magnética muito desenvolta e com probabilidades de fazer surgir um "flare" da classe M.
Entretanto outra região activa surgia a norte e também perto já do limbo solar oeste, do mesmo modo da classe Bxi mas de menores dimensões e sem grande actividade magnética.Foi classificada como 10863.
Fora isto, apenas eram visíveis dois grandes Filamentos no disco solar. Assim, pela primeira vez em mais de 2 mêses, a actividade solar ganha algum enfase.
Veja os pormenores fazendo o zoom do mosaico das imagens obtidas.
O dia 29 aproxima-se e com ele o Eclipse Solar Total (para a Africa e Turquia) mas Parcial para nós (apenas aproximadamente 20% do disco solar será escondido pela Lua para S. Miguel e Sta. Maria). Esperemos que o anti ciclone colabore!! Consulte a página oficial da NASA em http://sunearth.gsfc.nasa.gov/eclipse.

domingo, março 19, 2006

Apesar do Mínimo


O Sol mostrava hoje um grupo de manchas solares de algum modo significativo, dado estarmos na fase de Mínimo solar. A Região Activa 10860 prometia maiores desenvolvimentos como uma bipolaridade bastante acentuada e apresentando um Filamento muito encurvado magneticamente. Para além desta RA, apenas era visível um outro filamento a NE. As duas imagens reportam em H-alfa estas duas situações. Entretanto o fluxo protónico atingiu valores bastante elevados e estão a provocar o surgimento de Auroras em zonas geográficas de maior latitude.

segunda-feira, março 13, 2006

Parabéns ao Pedro Augusto


Investigador português descobre nova rádio galáxia

Pedro Augusto, astrónomo do Grupo de Astronomia da Universidade da Madeira (GAUM), descobriu uma nova rádio galáxia, situada na constelação de Pegasus, a cerca de dois mil milhões de anos-luz da Terra. A descoberta foi feita em colaboração com um investigador inglês da Universidade de Durham, Alastair Edge, e uma investigadora americana do National Rádio Astronomy Observatory, Claire Chandler.

quinta-feira, março 09, 2006

Finalmente Pojmanski


Depois de muitas noites de céu nublado, tantas que lhes perdi a conta, finalmente tivemos uma noite propicia à observação astronómica. Fizemos uma observação binocular ao cometa Pojmanski pelas 05:45 AM. Não sendo visível a olho-nu, guiámo-nos por um gerador de mapas estelares, o SkyMap pro, que o localizava logo abaixo da constelação do Golfinho.
Utilizando binóculos 10x50 logo o localizámos sem qualquer dificuldade, parecendo-nos que apresentava uma magnitude entre 6,5 e 7,0 tendo em conta a magnitude visível das estrelas que se encontravam no mesmo campo de visão ou em redor. Visualmente apresentava um núcleo quase estelar ligeiramente difuso com uma cabeleira curta estendendo-se E-O.
Muito gratificante !! Se as condições meteo se mantiverem, talvez seja possível fazer umas imagens! Até lá aqui vai uma imagem do Mike Holloway.