terça-feira, dezembro 08, 2015

O US10 Catalina na madrugada de 8 dezembro

 
Imagens feitas com uma objetiva de 125mm e a ccd MX916 da StarlightXpress.
Conjunto de 15 imagens de 40 segundos tratadas com o MaximDL e sem pré-tratamento.
Notar a extensão da cauda iónica do cometa por alguns milhões de quilómetros.
 
No serão de 7 dezembro fizemos algumas imagens de objetos Messier situados na constelação do Cão Maior. Aqui ficam os registos da região da M46 e M47 assim como a M41 e a M93.
Todas as imagens foram obtidas com a objetiva 125mm e a MX916.
 


 

sexta-feira, dezembro 04, 2015

Cometa US10 CATALINA na manhã de 4 dezembro



Entre as 06:15 e as 06:45 obtivemos um conjunto de imagens com a Canon 350D modificada e um Celestron Shmidt-Cassegrain de 203mm a f/6,3, que depois de pré-tratadas com a aplicação de um pacote de "masters" offset, dark e flat com o software Íris,  mostravam o cometa com as suas duas caudas, iónica e de poeiras e com uma coloração esverdeada de Carbono molecular (C2).
As condições de obtenção das imagens foram péssimas com o cometa sofrendo com a extinção atmosférica e a poluição luminosa citadina. 


quarta-feira, novembro 25, 2015

Catalina, o maior cometa de 2015, finalmente visível



O cometa C/2013 US10 Catalina com aproximadamente 20 km de diametro foi descoberto a 31 outubro de 2013 pelo Catalina Sky Survey e a sua viagem em direção ao Sol deveu-se a uma perturbação gravítica com outro corpo na Nuvem de Oort.
Enquanto já era visível no hemisfério sul, tendo atingido o seu perihélio a 15 de novembro deste ano, só agora foi possível vê-lo no hemisfério norte, mesmo assim muito baixo no horizonte sudest...e e pouco antes do nascer do Sol e na constelação da Virgem.
Simulador do SkyMap



À Janela com candeeiro de iluminação pública mesmo ao lado

As caudas de poeira e iónica

Coloração esverdeada do Cianogénio

 Neste momento é visível com binóculos ou um pequeno telescópio durante este mês e o próximo, a subir no céu quase 1 grau por dia, dará oportunidade a ser bem observado.

As duas imagens registadas com objetivos diferentes (uma é o somatório de 8 imagens enquanto a outra é a uma mediana de 19 imagens) mostram o falso núcleo do cometa com uma coloração esverdeada devido á emissão de C2 que se torna fluorescente face á radiação ultra-violeta do Sol e, a existência de duas caudas, a de poeiras apontando para sudeste e claramente visível e a iónica apontando para norte, O cometa mostra uma magnitude visual entre os 5 e 5,5 em parte devido à extinção atmosférica.

Estas imagens são as primeiras obtidas nos Açores e creio que em Portugal.

Utilizámos um telescópio Schmidt.Cassegrain de 203 mm a f/6,3 e uma Canon 350D modificada sem o filtro original e com um filtro CLS (anti-poluição luminosa).
As condições de obtenção destas imagens não foram as melhores, com uma colocação em estação um pouco arbitrária, com um candeeiro de iluminação pública mesmo ao lado e com o telescópio colocado numa janela sujeito a flutuação de ondas de calor como atesta uma das fotos. Por isso o ruído eletrónico é bem patente nas imagens que apesar de tudo foram sujeitas a pré-tratamento com master flats, darks e offsets.
Aqui ficam os registos acompanhados de um mapa da região do céu obtido por um simulador.

sexta-feira, outubro 02, 2015

Enxame Globular M13

 
Integração de 7x35s a 1600iso com C8 f/6.3 + Canon 350D modificada
Local: Fajã de Baixo, 29 setembro 2015

quinta-feira, outubro 01, 2015

Um olhar a sul: Plutão, M16, M22 e cometa 10P Tempel

 
Cometa 10P Tempel com uma cauda bem visívl

 
M16 - Nebulosa da Águia

 
M22 - Enxame Globular

 
Plutão
 
Equipamento: Celestron 8" a f/6,3 e Canon 350D modificada e dotada
de um filtro anti-poluição luminosa CLS-clip system.
Imagens processadas com Iris.

terça-feira, setembro 29, 2015

Duas regiões muito ativas


No dia 28 setembro 2015 as duas regiões classificadas como 2422 e 2423 produziam algumas Fulgurações respetivamente da classe M7,1 e M3,6. Sobretudo a RA2423 apresentando-se com uma complexidade magnética multipolar, beta-gama-delta e com uma tipologia Fkc, mostra capacidade de produzir alguns fenómenos violentos, apesar de neste momento estar numa fase de grande estabilidade evolutiva. A RA2423 , apresenta-se como uma Dac e está a rodar no limbo oeste rodeando-se de Fáculas brilhantes.

segunda-feira, setembro 28, 2015

Eclipse Total da Lua de 28 setembro 2015

Entre muito nevoeiro e vento conseguimos no Observatório Astronómico de Santana, obter algumas imagens do eclipse lunar total. O mosaico mostra o fenómeno até um pouco depois da fase da Totalidade e as imagens foram obtidas com uma Canon 350D e teleobjetiva de 300mm, não tendo sido sujeitas a qualquer tratamento.

 
 
Eclipse anormalmente muito escuro devido ao facto de a Lua se encontrar mais próximo da Terra e penetrar profundamente no cone de sombra.

terça-feira, setembro 22, 2015

Atividade solar

 Depois de uma fulguração da classe M2.1 no dia 20 pelas 18:55 TU, lançada pela região 2415 surge agora uma nova região ativa classificada como 2420 junto ao limbo leste que pela sua rápida evolução verificada  até agora (Classe magnética Ekc) leva a supor que possa produzir algumas fulgurações e EMC`s (Ejeção de Massa Coronal). Imagens de 22 setembro 2015 pelas 13:15 TU em Ponta Delgada com ETX90mm e SPC900nc Philips.

segunda-feira, julho 13, 2015

A região do berçario de estrelas no Sagitário

Messier 16

Messier 20

Violência Cósmica: Galáxias em colisão e outra com "olho-negro"

Messier 51

Messier 64

Um serão com os cometas

 A presença do cometa 10P/Tempel muito ténue ao invés do que era esperado e predito pelas simulações de magnitude. Curiosidade: A Estrela Tau da Virgem com o seu sistema duplo e uma galáxia PGC de magnitude visual 15,6.
 
O cometa C/2014 Q2 Lovejoy continua com uma magnitude acentuada de 8,5 e evidenciando uma caude de poeiras bastante extensa.

O cometa 22P/Kopff diminui de brilho de forma drástica
bem como o seu congénere Polónia.

Cometa C/2015 F2 Polonia

 
O cometa Jacques revela uma extensa cauda e uma magnitude acima do previsto.

quarta-feira, julho 08, 2015

O Sol em crescendo de atividade

Quem viu o Sol uma semana atrás não diria que seria possível este frenezim de atividade com uma nova Ekc (2381) e o aparecimento de novos grupos com complexidade magnética crescente como aquele que apareceu a norte da 2378.
Depois é a rede de Fáculas que surgem como denunciadoras das convulsões internas.

domingo, julho 05, 2015

A noite dos cometas

Em 4 de julho perseguimos 4 cometas em 3 quadrantes diferentes, a saber a norte com o Lovejoy que continua com grande brilho e com as suas duas caudas iónica e de poeiras bem visíveis; a oeste o 22P/Kopff cruzando a constelação da Virgem e a leste o Polonia e o Jacques com magnitude 10,8 respetivamente nas constelações do Pégaso e da Àguia.
Aqui ficam as imagens.





terça-feira, junho 23, 2015

Lovejoy e o Sol

Duas imagens do nosso sistema solar: a do cometa Q2 Lovejoy obtida em 18 junho mostrando as suas caudas iónica e de poeiras que o vento solar vai moldando e orientando, e outra do Sol e da sua Região Ativa 2371 cuja configuração magnética muito complexa está a evoluir rapidamente e poderá gerar algumas fulgurações da classe X direcionadas ao nosso planeta.









 

 

RA 2371


A Região Ativa 2371 depois de ter lançado várias fulgurações da classe M e C e estar a provocar o aparecimento de bonitas Auroras Boreais, continua o seu trajeto em direção ao limbo oeste solar mantendo a sua configuração magnética muito complexa (beta-gama-delta) sendo de esperar mais fenómenos fulgurativos.
A imagem resulta de um filme AVI com 200 frames tratado com o RegiStax 6 e foi obtido agora à pouco com um ETX90mm e uma SPC900nc da Philips devidamente adaptada.

quinta-feira, junho 18, 2015

1566 ICARUS

O asteróide ICARUS é da classe Apollo e foi descoberto em 1949 por Walter Baade tendo passado na madrugada do dia 18 de junho a cerca de 21 distâncias lunares, relativamente perto do nosso planeta,. considerando as distâncias astronómicas, repetindo esta proeza apenas no dia 14 de junho de 2090, ao atingir a distância de 6,5 milhões de km da Terra.
A sua observação é muito difícil devido á sua passagem a grande velocidade e ter um brilho muito baixo (13,6 de magnitude visual) tornando-o apenas detetável com cameras ccd ou com sensor cmos e telescópios.
Entre a 01:15 e 01:24 fizemos uma sequência de fotografias com um Celestron 203mm com um redutor de focal 6,3 e uma Canon 350D modificada e dotada de uma filtro CLS clip system.
A imagem resulta da integração de 8 x 40 segundos e revela o percurso do 1566 Icarus por baixo de um grupo de estrelas devidamente identificadas.


segunda-feira, junho 15, 2015

Cometa C/2014 Q2 Lovejoy



 
 
A noite de 14 junho 2015 foi propícia às observações astronómicas.
Numa integração de 16x50 segundos com o C8 a f/6,3 e a Canon 350D modificada, obtivemos esta imagem do C/2014 Q2 Lovejoy.
Também fizemos uma breve exposição (5x45s) da M13.



sexta-feira, junho 12, 2015

O caso WDS PAR2

Foram submetidas à Astrometry.net a imagem de 5 de junho resultante da integração de 6x90s  mostrando a região em torno da M13 e obtivemos a seguinte calibração de parâmetros:

Center (RA, Dec):(249.584, 36.162)
Center (RA, hms):16h 38m 20.206s
Center (Dec, dms):+36° 09' 43.099"
Size:3.61 x 2.78 deg
Radius:2.279 deg
Pixel scale:17.3 arcsec/pixel

A imagem anotada resultante foi a seguinte:

 A imagem do mesmo campo dado pela SDSS foi a que se segue:


A 13 de junho o céu voltou a clarear permitindo-nos realizar mais um set de imagens (11) com 90 segundos de exposição cada. O objecto difuso continuava na mesma posição como podem ver pela imagem:




Conclusão: nada aparece na imagem do SDSS na zona da WDS PAR 2 que evidencie o "objeto" agora detetado em 5 de junho e novamente confirmado na noite de 13 de junho.

Comunicámos entretanto com a CBAT da União Astronómica Internacional cbatiau@eps.harvard.edu dando conta deste assunto:


Entretanto em 14 junho outra noite  com céu muito estável e condições melhores de observação permitiu-nos realizar ais um conjunto de fotografias agora com o C8 a f/6,3 e a Canon 350D modificada. Não detetámos qualquer objeto nas coordenadas RA 16h 35m 12s DEC 37º 20' 43".

Consultado a base de dados Aladin vimos que na mesma região próxima destas coordenada existe uma galáxia longínqua.

Imagem obtida no dia 14 com o C8

Imagem do SDSS9 gerada pelo Aladin e onde se vê a galáxia longinqua